Ao longo do seu percurso académico, um estudante encontra vários desafios e oportunidades que desempenham um papel essencial na construção do seu futuro. Para muitos, a verdadeira dificuldade reside na obtenção de uma das mais de cinquenta (50) mil vagas disponíveis para ingresso no Ensino Superior [1], de preferência, no par curso-instituição mais alinhado com as suas expectativas.

Uma escolha difícil que, no atual contexto de generalização de práticas de ensino à distância, tem o potencial de ser apenas a primeira pedra num percurso atribulado que será marcado pela adoção de métodos de ensino alternativos e novas dinâmicas no contexto de trabalho e social, onde “à distância” poderá ser uma realidade diária.

Com estas condicionantes a limitar a disponibilidade das Instituições de Ensino Superior (IES), os estudantes são confrontados com a necessidade de inovar a sua postura em termos de convívio, organização e trabalho. Neste contexto de mudança, importa realçar a oportunidade que as autarquias têm para se posicionarem do lado dos estudantes e oferecer as condições certas para desbloquear as limitações que complicam, ainda mais, esta importante transição.

Desde a disponibilização de bibliotecas até à criação de espaços próprios para coworking, destinados tanto para estudo individual como para trabalhos de grupo, as autarquias têm a capacidade para oferecer alternativas complementares aos estudantes que se encontram neste regime remoto que, segundo um estudo recente do Observatório de Políticas de Educação e Formação, tem prejudicado o seu desempenho académico.

O concelho de Sintra, que conta com mais de cinquenta (50) mil estudantes distribuídos pelas diferentes fases académicas, enfrenta este desafio com quatro (4) bibliotecas municipais [2] – Sintra, Queluz, Tapada das Mercês e Cacém – que são pouco divulgadas junto desta população-alvo e, como tal, podem não estar alinhadas para satisfazer as novas necessidades que surgem neste contexto, considerando os espaços fortemente dedicados à população infantil ou atividades de formação de âmbito sénior.

Como resposta, são muitos os estudantes que recorrem a concelhos vizinhos para conseguir render uma boa tarde de estudo, estando condicionados, muitas vezes, por constrangimentos relacionados com meios de transporte e de horários restritos. Sendo este mais um fator que poderá justificar que, num intervalo de dez (10) anos, tenha sido registado um decréscimo considerável (80%) no número de estudantes do ensino superior em Sintra, aliado a um encerramento de três (3) IES [3].

Este problema estrutural do concelho levou à apresentação, pela JSD Sintra, de propostas relacionadas com o alargamento do horário destes espaços,  considerando mesmo uma extensão do seu funcionamento ao fim-de-semana e feriados [4]. Uma iniciativa que desempenhou um papel importante durante as atribuladas épocas de exame, tanto a nível do ensino secundário e superior, retirando a pressão consequente dos horários limitados que não se provavam suficientes para os estudantes satisfizessem as suas necessidades nestas alturas mais específicas.

No contexto atípico atual em que as ferramentas remotas desafiam as limitações de distância, tanto físicas como temporais, importa que os estudantes possam contar com mais mecanismos de apoio, nomeadamente, através da adaptação destes espaços para confrontar os novos obstáculos do seu percurso académico.
Como tal, cabe aos órgãos autárquicos acompanhar as novas tendências no âmbito do ensino, de forma a fornecer as condições e ferramentas apropriadas para conseguir contrariar a tendência que se tem registado nos últimos anos, utilizando este momento de transição para reduzir a distância entre o ensino e Sintra.

 

Referências
[1] Acesso Ensino Superior 2020, Público. Consultado em Agosto 2020.

[2] Bibliotecas Municipais, Câmara Municipal de Sintra. Consultado em Agosto 2020.

[3] Quadro Resumo de Sintra, PORDATA. Consultado em Agosto 2020.

[4] Biblioteca Fora D’Horas, JSD Sintra. Consultado em Agosto 2020.

Ricardo Eleutério de Oliveira

Estudante de Gestão Industrial no Instituto Superior Técnico | Massamá, Sintra